quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

TODAS NO NATAL...


Todos os copos
Na bêbada natalidade
Das tradições que se perdem
No encontro das mansardas.
O espaço da mesa
Se amplia na luz
Solar amarela dos
Copos de cerveja
Nossos olhos vermelhos
E acesos
De ternas loucuras
Iluminam
Becos e vielas
Onde se cantam
Canções de Natal.

(Dingo bél, dingo bél, acabou o papel...)


T@CITO/XANADU