segunda-feira, 25 de maio de 2009

CASOS DE AMOR.


Não há metáforas
em meus casos de amor,
nem Ah! ou Oh!...
Cada palavra tem seu tempo,
cada gesto um sentimento.

Encontro o encanto
quando conto,
ou enquanto canto.
Não falo de rosas
elas não precisam disso.

Foram beijos antes de abraços
Foram beijos sem dar as mãos
Foram beijos sem palavras,
É pena mas faltou a magia.
*
Depois foi noite longa,
nem mais se lembra
se já houve dia.
E se houve não foi vivido.

Caso de amor e assim,
incomoda porque não quer ir embora.
Mas, é momento e passa.
Assim os castelos se vão no mar...