domingo, 24 de maio de 2009

VEZ POR OUTRA...


Preciso morrer por pelo menos um ano,
descansar de todas minhas lembranças.
Fechar as cortinas dos sonhos
porcamente sonhados.

Abrigar-me em túmulo escuro,
das lamúrias de saias.
Malditas carpideiras vampiras,
chorosas lacraias.

Pobres viúvas (negras),
Choram a morte de um poeta
irremediavelmente baqueado,
uma roda parada.

Eu nunca vendi promessas,
embora meus versos
reflitam o contrário,
são claros como cinza.

Mesmo que eu não morra,
ficarei sossegado.
Escondido entre bundas de silicone
farei sonetos insones.


5 comentários:

Mai disse...

Morre o homem por um ano?
E o que inspira mais do que o sofrer?

Gostei do poema.

Abraços,

Mai

Paulo Braccini disse...

maliciosamente lindo . parabéns

Paulo R. F. Braccini disse...

Agasalho para a Alma
Um meme para vc e seu blog. é só pegar sem regras. apenas um reconhecimento pessoal pelo seu trabalho.

http://paulobraccini-filosofo.blogspot.com

espero q goste. grande abraço.

Layara disse...

...é, as vezes Poetas precisam morrer por um ano...

renascem? revivem? reeditam?

costurando analogias.

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,