terça-feira, 5 de maio de 2009

AS ROSAS.



Místicas.
Brancas,
vermelhas, amarelas
não importa a cor...
Sempre rosas.

Puras.
Inocentes,
Paixão, sangue e carne.
Rubra, pelo sangue
da Deusa Flora
Entre
tuas pétalas,
mil segredos encerra.
Deste vida a Lakashmi,
abriste a caixa de Pandora.

Deu-se,
início ao caos.
Me acalma teu perfume,
tua música, tua "poésis"
profundos caminhos, dolorosos espinhos.




(Pra não dizer que não falei das rosas...)



T@CITO/XANADU