quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

C O T I D I A N O

Dou bom dia à manhã cinza,
Já escuto uma moda sertaneja.
Depois de beber café forte
Tomo o rumo do norte
E a vida já viceja.


Na rua, como homem íntegro
Acompanho a dama requebrando flácida,
Assovio como se ouvisse flauta,
E como fera ataco a labuta
Guerreiro bom não foge à luta.


Já não me encanta nem motiva
O ideal e os sonhos de outrora,
Pois os sonhos, como ondas
Vem e vai embora, não dura
Mais que poucas horas.


E esperando o tempo passar,
E sem mais o que desejar
Saio para a noite início do dia
Atrás de alguma alegria
Que como eu, caminha devagar.


Não tenho medo em seu rastro
Nem desespero nas horas nuas
Sei que o farol que me busca
Só me deixa o caminho às escuras
Restando apenas os astros.

Tácito

3 comentários:

lucidreira disse...

E esse é o caminhar do dia a dia do ser humano.
Bravo!
P.S.: Fiquei fora por um período. se quiser saber mais lei Editorial lá no Blog do Lu Cidreira.

Abraço

Guará Matos disse...

"Guerreiro bom não foge à luta"

Bravo, amigo!

Denise Guerra disse...

Também sou da Guerra e nunca fujo à luta, é por isso que sinto forte empatia com seus poemas sempre audazes e verdadeiros! obrigada amigo! bjs!