sexta-feira, 26 de novembro de 2010

PRECISO SABER. . .

O que fazer dessa presença ausente,
Impregnada em meu corpo
como carícias indecisas?


Vivenciá-la companheira
Na durabilidade provável
Do nunca existir?


Ainda é tempo? Preciso saber
Para tecer em meu peito
As malhas do amor.


Mas se for para aguardar,
A saudade precisa me aquecer
No sol da aurora que virá.


E nessa hora de ouro e cristal,
O milagre aconteça e faça,
Ela se humilhar e telefonar.

Tácito

4 comentários:

Amanda disse...

O amor nem sempre nos avisa quando vai chegar... "hora de ouro e cristal" em um dia de sol ou "Ela se humilhar e telefonar" avisar para nos preparar. Quando amor chega ele nos pega de surpresa... e tudo acontece ao mesmo tempo...

Amei...

...Beijos meu poeta predileto...

Maria Ribeiro disse...

POETA: e por que não telefonas TU?
E por que se há-de humilhar ela ,coitada, se calhar nem te fez mal?????
A verdade doi, não é?
Não faças juízos errados de quem, se calhar, não sabe que fazer contigo...Vá... telefona...
DEsCULPA , POETA, quem sou eu para te dar conselhos?
Beijo
Mª ELISA

Lua Nova disse...

Não há humilhação no amor, meu caro.
Humilhante e trágico é deixar ir embora o amor sem tentar mais uma vez. Não há tristeza maior do que a de não saber se poderia ser diferente.
No fim, restará saudade se nenhum dos dois tiver dentro de si a coragem e a generosidade que o amor exige de nós.
Estava com saudades, meu caro. Vc Poderia me dar notícias daquela nossa amiga?
Beijokas pra vc e um lindo FDS.

mARa disse...

...sempre essa ausencia tão presente, isso e saudades,então deixe o sol brilhar e telefona...

bjo!