segunda-feira, 11 de outubro de 2010

MANIA DE ESCREVER

...Palavras, palavras, palavras e mais...
Era uma tentativa estafante
de acompanhar pensamentos
que passarinhavam
vinham e assoviavam
faziam um cocozinho
fugiam
voavam para além dos olhos meus
quase sempre, ficava eu,
vazio

Uma folha manchada
que pouco podia me acrescentar
sem rima, sem rítimo
sem beleza estética
tinha o destino certo
da lixeira.

Mañana quien sabe...
viviré de mi propia arte.

amanhã quem sabe...
faço parte dela.

Tácito

3 comentários:

Guará Matos disse...

Acredito que já faça parte
Da arte da boa escrita
Mesmo que não acredite
Fica.

Abraços.

C@urosa disse...

Passando para uma visita a seu nobre espaço de reflexão. Paz e harmonia.

forte abraço

C@urosa

MEL disse...

Escrever é hábito de poeta. Qualquer escrita de um poeta, pode se tornar POESIA.

Simplesmente gostei.

Mel