quinta-feira, 12 de agosto de 2010

(RI) BALTA


Há noites, que de tão longas
Nem lembro se já houve dia
Faço música na sacada
Canto canção de gente se amando...

Abro a janela e deixo entrar...
curiosos olhares, de cima
vou (vi)vendo tudo
Cantando sempre, rindo sempre

Vejo bêbados e trova(dores)
Bailarinas, poetas e atores
Sentindo o mundo

Sem trilhos
Com brilho
Nós e voz


Tácito

7 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá poeta
Sempre é muito bom passar por aqui, é a certeza de ler um bela poema.
Abração

Ana Lucia Franco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Lucia Franco disse...

Tácito, as noites escuras da alma parecem sem fim, mas no fim a paisagem que se descortina é mais bela. Ah, bêbados, trovadores, bailarinas, poetas e atores, maravilhosos diletantes encantados.

Belíssimo, poeta..

bjs.

Guará Matos disse...

A poesia é uma canção
Tocada por belos poetas.

Abraços.

Paulo Braccini disse...

De versos e trovas eu sinto o mundo
Sem trilhos
Com Brilhos
Eu sinto ...

adorei querido "XARÁ"

bjux

;-)

Whesley Fagliari disse...

Olá Tácito!

Lindo, simplesmente!

Parabéns.. Luz e paz!!!

Denise Guerra disse...

Lindo POE-CANÇÃO!!! lírico, leve e solto!!! bjs!!!