quinta-feira, 25 de março de 2010

SOBRE DECEPÇÕES


As vezes a vida de alguém
Se dilui na nossa,
Faz de nós uma estrela maior
traz acordes e o coração adoça.

Dá à nossa vida, um rumo
De nau à deriva do amor
Que troça da onda hostil,
Dos desvãos, do despreso ou rancor.

Sem menos, desce para o ventre
Aberto do infortúnio,
Os sonhos mais belos
Vão brotar num rubro plenilúnio.

Voejam na solidão
Sem luzes nem nuanças,
Como aves de azeviche,
Todas as esperanças.

Que em vão tentam fugir
À dor que as agasalha
Envolvendo o amor
Em líquida mortalha...

(Chuvas amontoam-se nos horizontes...)


7 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Tácito
Quando a esperança de cobre de negro o amor veste a mortalha.
Abração

Layara disse...

Essas nuances cor de prata
Brilham na escuridão azeviche
Ah! essas gotas derramando vida
sobre os horizontes, deve ser um sonho, um lenitivo,lingua entreabindo os labios mudos,inquietantes,gritantes, tantas e quantas palavras silenciadas,ditas nos vãos da poesia.
Os sonhos brotam sob essa mortalha molhada das tempestades da vida...
E depois de tudo eu antes pergunto

A intenção e tomo posse, da Poesia.

Bjo!

MMLI disse...

Meu lindo, gosto de como vc provoca no leitor várias interpretações em cima do que vc escreve, apenas escolhe um tema e trabalha nele de forma a deixar um pouco sua opinião. Se eu não te conhecesse, como te conheço... Também teria outra forma de interpretar seus escritos.

Beijos meu poeta predileto.

Amanda disse...

O ínicio de todas são boas, mas conheço uma expresssão que diz: "O fim das coisas é melhor do que início delas". Só o amor do qual foi gerado a princípio é que torna os dias tempestuosos em verdadeiros caminhos para firmar o que foi construído.

Meu lindo, não desprezes os pequenos inícios...

...Beijos carinhosos...

Anônimo disse...

Bj°°°s



mARa!

jefhcardoso disse...

Olá! Sou Jefhcardoso e sigo o “Quando era pequeno acreditava que podia voar, cresci descobri a música!”, que é do músico poeta Mateus Araujo. Ali encontrei o seu contato no quadro de seguidores e achei que seria uma oportunidade de divulgar o meu http://jefhcardoso.blogspot.com onde publico os meus poemas, crônicas e contos.
Espero não estar incomodando com este convite de divulgação, se acaso desagradar queira desconsiderar, porém, se acaso interessar faça-me uma visita e terei prazer em retribuir.

Abraço: Jefhcardoso.

jefhcardoso disse...

Tácito, sobre o poema; é isso, amigo. Impossível contaminarmos sem sermos contaminados. E que bom essa epidemia de aprendizagem!

Abraço e muito obrigado por sua pronta atenção, por seu carinho ao meu blog, e por seu incentivo.

Obrigado! Jefhcardoso