quinta-feira, 19 de março de 2009

E X I S T Ê N C I A


Mundo inumano,
de imundos humanos
vagueiam vazios.
Caminhar incerto,
pensamentos fugidios.


Para tantos, mundo de alegria.
Para outros, cinzas e pó.
Realidade de fantasia,
certeza de um dia
eu sei que vou só...


Soluço de insônia,
suspiro na madrugada,
incursionar a noite
sem medo da dor,
volúpia exorcisada.


Sentimento inexplicável,
dois corpos se abraçam e fogem,
ao primeiro clarão.
como baratas, ao acenderem a luz...
Bizarro? Apenas o real e a razão.


A razão que há muito perdi,
antevejo entretanto, um rosto.
Percebo olhares bisbilhotando
meus pensamentos em ti.
Penso na distância, nunca existi...



T@CITO/XANADU