segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

SER POETA...


É abandonar palavras no papel,
palavras sem cor.
Subvertidas em poemas
De amor e ou de dor.


É buscar lá no fundo uma palavra que rima
E, que lamenta essa dor...
... de ser e está só, só em si mesmo
Só no mundo.


É te beijar com as palavras.
É ter uma alma que chora
É ter o olhar perdido,
Que busca alg(o)uém que se foi embora.


É querer voltar sem nunca ter ido.
É trazer na mão um violão.
No peito melancolia
Na boca uma canção.


É fazer ecoar no silêncio das madrugadas frias,
Odes a paixão, desejo e solidão.
É ser triste, ter os olhos no mar.
E, o mar no olhar.


Ser poeta é ser a própria poesia.


T@CITO/XANADU