segunda-feira, 6 de junho de 2011

A PEDRA



O menino fuma a pedra
Enche de fumaça a cabeça.
Melhor se a atirasse na vidraça
Da casa do vizinho.


O vidro se estilhaça
A cabeça se parte
O vizinho se zanga
O cachorro late.


A vida se esvai
Em nuvens de fumaça
Pedras atiradas
Pedras fumadas




A sina
Vidraças quebradas
Pedra infame
Assassina


Tão distante
Peões, pipas, figurinhas.
Banhos de rio
Futebol no terreno baldio.


Da pedra não brota semente
O menino joga a pedra
Na vidraça sua
E da gente.

Tácito

3 comentários:

mARa disse...

Lamentável tudo isso.

bjão!

Guará Matos disse...

Oi, tudo bem com você?
Como eu havia dito antes, estou afastado do Blogosfera por vários motivos, inclusive por conta do site “ABORDAGENS & IMPRESSÕES”/ http://abordagenseimpressoes.com/ que eu acabo de criar e publicar na Internet.
Gostaria de contar também com você por lá, acompanhe-o e também interaja comigo por lá.
Como todos nós sabemos, site tem uma dinâmica diferente do blog, é mais consultivo e informativo. É de maior abrangência, já que se pode explorar muito mais. O blog é mais direto e normalmente de temática única.
Me visite por lá e me siga. Vou gostar e ficar extremamente feliz e agradecido por mais esse voto de confiança.

Beijos.

Solange Maia disse...

dói tanto essa realidade...

e falas dela com delicadeza e poesia.

você é demais mesmo !!!

beijo carinhoso