sexta-feira, 25 de março de 2011

R E T I R A N T E

Vim do norte
Caminhando de noite
Descançando de dia
Evitando o sol forte.


Contei com a sorte
Procurei não pensar
Na dor e na morte
Só queria chegar.


Desde menino
Devia ter partido
Talvez destino ou desatino,
Se fico teria sucumbido.


Caminhando milha a milha
Passei por terras estranhas
Amargando saudades da família.


Calejando os pés e as entranhas
Fica maior o desejo
De transpor aquelas montanhas.

( o otimismo ilumina a crença...)

Tácito

5 comentários:

Guará Matos disse...

"Sertanejo é forte
Supera a miséria sem fim
Sertanejo é homem forte
Dizia o poeta assim" (Os Sertões - GRES Em Cima da Hora - Edeor de Paula/ 1976).

PÉ DE PITANGA disse...

Falar de sertenejo é nobre.
Parabéns.
Adorei seu comentário no Pé de Pitanga! Inteligente! Obrigada.
Grande abraço

Amanda disse...

Povo do povo
Povo da gente
Povo sofrido...
...Muita dor
Suporta, supera
É vencedor.

Esse é o povo sertanejo
que respeito...

Beijo Poeta Predileto

Maria Ribeiro disse...

É essa a vida...sertanejo ou não! Uma contínua caminhada, de dor, sobretudo...a caminho da PROCURA.
BEIJO, POETA
Mª ELISA

Wanderley Elian Lima disse...

As vezes abandonar a terra é preciso, mas as raízes ficam sempre cravas em nosso solo.
Abração