terça-feira, 15 de março de 2011

DE MIM ATÉ EU



Entre mim e o poço
Há o posso
Há o osso
Há a sêde
Há a crença
Há a criança


Para beber
As águas
As mágoas
As dores
Os prantos


Rego flores
Sacio amores
Afogo lembranças


Na beira
Tonto o fim
Lenta escalada
Altos cimos
Ameaço um abraço
Tomo um trago de Gim

( Poço!...Prisão da escuridão )

Tácito

5 comentários:

Guará Matos disse...

Tantos líquidos e a solidão

Um trago de presença
Um porre de carinho
Uma ressaca de sonhos

Quem me oferece!

Abraços.

Faces de Mulher disse...

Um poço que leva a um posso echeados de sentimentos...
Poeta magnífico você...
T@cito tem selo la para você meu lindo...
BJKS
Chrys
;)

Faces de Mulher disse...

Correção recheado*

evandro mezadri disse...

Muito bom Xanadu, poesia muito inteligente, bem escrita.
Grande abraço e sucesso!

Jacqueline disse...

Sempre muito bom, muito bom como sempre! Da visitante quase sempre calada! Abços!