sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O CASAMENTO

Valerá o sacrifício do casamento?
Sim, é um sacrifício por mais que haja amor,
pois a documentação transforma o relacionamento em negócio
e todo negócio é sacrificante.

Amar e se unir sem casar.
Amar, amar e amar,
Nada mais é preciso
Nem igreja, nem juiz, nem padrinhos,
Festa, parentes, para que?
Amo você, por você,
Sem divisões, sem testamento,
Cada qual resguardando seu eu.


Vivemos o desamor decorrente de uma mentalidade antiga,
Quando o amar, mais do que viver junto era demonstrar essa
convivência para a sociedade.
Estamos no intermédio de uma sociedade que se transforma
de uma base aparente, para uma real.


Os da minha geração estão separados, de direito, ou de fato.
Os que casaram de novo, respondem pelo erro em que incidiram.
Não, a culpa não é da mulher, nem do homem,
mas da medíocre estrutura a que estamos condicionados.


É preciso unir-se, ter filhos, corresponder aos desejos
do sexo e do amor,
mas,mais do que isso, é preciso responder à nossa verdade,
é preciso ser forte para quebrar as instituições,
criando novos costumes, que tenham por base a ausência das
FÓRMULAS.

7 comentários:

lusibero disse...

PAULO: não poderia estar mais de acordo!
Lindo que tocaste neste aspecto das modernas relações, que ainda "vingam" em certas sociedades! AMAR É AMAR, vivendo esse amor...É hora de a juventude actual perceber isto...Há casamentos, com papel passado, que dão em divórcios ,logo depois...Amarras sociais, podem matar umgrande amor...
Beijo
Mª ELISA

Wanderley Elian Lima disse...

Aplausos. Belo e verdadeiro poema, o casamento destrói as relações.
Abração

Guará Matos disse...

"Todo negócio é sacrificante"
Puta merda, acertou no alvo!

Abraços.

Denise Guerra disse...

APOIADÍSSIMO!!! Quanta lucidez, bom senso, consciência, cabeça e coração iluminados! PARABÉNS!!!Bjs!

MMLI disse...

"Amo você, por você"

PÉ DE PITANGA disse...

Caro amigo,
Certíssimo... precisamos urgentemente de arrefecer as falsas instituições. Que o amor seja livre de amarras e interesses!
Obrigada por sua visita ao Pé de Pitanga... adorei!

Paulo Braccini disse...

Mais q perfeito ... e o homem insiste em seu erro ...

Um modelo falido e infeliz ... q venha o Amo você, por você!

bjux

;-)