quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Agora, já!

Captei o instante,
e segurei com cuidado.
Dobrei o mais que pude
pra que nem gota
do que eu senti
se perdesse.


Na mão
trago um arco-íris
e cinco dedos novos em pele

Mas outras gotas
que não aquelas que dão cor a este arco
lavarão a pele
e os dedos que tocarão meus presentes
serão outros

alegria é assim
incomoda porque não quer ir embora
mas é momento e passa

Se me ver feliz te faz ficar como eu,
sorria quando eu pegar o meu instante

Tácito

4 comentários:

Guará Matos disse...

Que as cores lhe pintem com muita vida, meu caro.
E nada se perca.
Abraços.

Anna disse...

A felicidade tem as cores do arco-iris, é o momento, o agora, tão bem captado em seu versar...
Tácito, gostei de seu blog, seus poemas ressoam como suaves acordes musicais.
Um dia ainda escreverei algo tão belo como e quanto encontrei por aqui!
Tenha uma tarde de inspiração divina e se puder, passe para conhecer os Fragmentos de Minh'Alma, terei enorme prazer em recebê-lo por lá.
Beijos de luz em seu coração,
Anna

lucidreira disse...

O que se pode dizer, se as palavras se confundem com um turbilhão de cores deixando o nosso quadro harmonioso e brilhante como o arco-iris.
Que tenhas sempre essas dádivas de escrever tão bem. Isso ameniza os horrores dos dias de hoje.
Abraço

Graça Pereira disse...

Que bom segurar o arco-íris na nossa mão... ainda que as gotas o levem, outro sol o trará de volta!
Gosto da tua poesia!
Beijo
Graça