sábado, 23 de outubro de 2010

SONHA(dor)

Sonhos
tão passageiros...
quanto a própria existência


nesta intensa roda viva,
sempre metamorfoseando,
é melhor, realmente,
continuar sonhando


Assim vou
sempre!
passageiro da imaginação

Cada novo sonho na alma d'O Sonhador, uma nova marca. Cicatrizes têm como única função preencher o vazio, nunca serão alma de novo. A cada nova cicatriz, um pedaço que nunca voltará, uma fatia de humanidade escorrida.
Pois, qual o destino de Ícaro, senão o chão? Qual o destino d'O Sonhador, senão a realidade? Por que trocar a incerteza da casualidade, com o sonho dos impossíveis?
Ele nunca aprenderá?

T@CITO/XANADU




4 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

PARABÉNS POETA,
sem sonhos não podemos alimentar a alma poeta.
Bom fim de semana,
Efigenia Coutinho

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Sonhos são fundamentais em nossas vidas. Sem eles ,tudo seria mais amargo.
Abração

Guará Matos disse...

E diante de realidade crua e doentia, os sonhos curam o mau presságio.
Abraços.

Vivian disse...

...eu não concebo a minha vida
sem sonhos...

de doce de leite, então!!!

mamma mia!!

rsrsrs

querido poeta, não briga
comigo pela ousadia...rsrs

vim deixar beijos agradecidopor tão belas palavras lá em casa!