terça-feira, 20 de abril de 2010

E S P E R A



Eu te esperei...

Curioso e feliz como quem abre um e-mail.
Ansioso como quem quase chegando, vê o carro morrer.
Desesperado como quem ouve o telefone tocar sem poder atender.
Aborrecido como quem fica em sala de espera.
Sem jeito como num elevador.


Eu te esperei...

Até que houve terremotos por aqui.
Até que a internet chegou.
Até que o dólar baixou.
Até que um candidato do PT ganhou...
Aí, não deu mais não
!

(Nesse tempo todo, tantas palavras e silêncios...)

T@CITO/XANADU

5 comentários:

Guará Matos disse...

Tantas esperas e o caminho pra se chegar se torna longo demais.

Abraços

Chá das Cinco disse...

Tácito,
você brinca com as palavras.
O poema que você deixou no Chá das Cinco é simplesmente maravilhoso.

A traição ganhou rosto, a maldade foi desenhada com as tuas letras.

Beijos meu amigo

Gemária Sampaio

Maria Ribeiro disse...

XANADU-A espera é terrível, quando a ansiedade não tem tempo...
Beijo, meu amigo e obrigada por tuas palavras de alento.
BEIJO DE LUSIBERO

jefhcardoso disse...

Tácito, é isso mesmo, amigo; o tempo e suas mancadas. (sorrio).

Obrigado por seu carinho e atenção!

Grande abraço do Jefhcardoso

Paulo Braccini disse...

Esperas ... a vida não foi feita para isto ... o tempo é implacável mesmo ... seu lirismo retratou isto com enorme sutileza ...

bjux

;-)