domingo, 11 de abril de 2010

DUELANDO


No coldre dos meus lábios
sempre engatilhado
um revólver.

Disparo um leque
de vocábulos
de amor que não resolve.

Em que guerra
ficaram nossas balas
de mel?...

Em que campo de batalha
a doce sequela?...



T@CITO/XANADU

3 comentários:

Guara Matos disse...

Na cma, talvez.
´`e nesse campo que tudo aflora. Todos os sentimentos.
Abraços.
_____
Ja estava com saudades dos seus escritos.

Layara disse...

...ficaram nos intervalos de silencios...


Saudades dos teus versos...Lindos pq. dizem nos intervalos entre uma linha e outra.

Beijos!

Ana Lucia Franco disse...

Oi Tacito,

Gosto de ler teus poemas, são saborosos. A metáfora deste está ótima: "No coldre dos meus lábios sempre engatilhado um revólver".

bjs.