segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

RIO ABAIXO


Só agora percebi que rio
Caudaloso cio de graça
Divino silêncio de lago

Mas algo de alga
Me leva fundo
Senão azul
Blues na canção
De só amar o mundo
E a solidão do rio

O rio levou o nosso amor
Não sei para onde
E continua subindo

Toda minha água
Está retida num copo
De ternura e cólera

Uma coisa inefável
Me enche o peito
E eu essa comporta
De amor rumo ao mar.

T@CITO/XANADU

3 comentários:

Guará matos disse...

E a grande verdade desse belo poema é que poderia ser musicado por um bluesmam e daria uma bela canção do forte Mississipi.
Abraços.

Layara disse...

Olá Paulo!

saudades e solidão, sempre dão formas em tão suaves letras, uma canção com o barulho do rio.

A vida rumo ao mar e eu Comporta.


beijos e saudades,tudo de bom Lindo amigo.

freefun0616 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.