segunda-feira, 17 de agosto de 2009

M A S M O R R A


Silêncio sobre Silêncio
Eis o que ouço dos dias.
Todos os sons se acumulam
Em mim para depois vibrar.

Sangra-me pela boca
O tempo que me foi
Tempo de retornar
Ciclo que se cumpre.

Inevitáveis tarefas humanas
Por insistência dos sonhos
Faço vibrar então, o som
De meus punhos cerrados.

De encontro às paredes
Sacudidas por soluços
A casa não cai
Alicerces de pedra.

Já nada oculto
Já nada ouço
Nem chuva, nem tempo
Nada se abate, nem eu!


T@CITO/XANADU

4 comentários:

Amanda disse...

Você tornou-se uma fortaleza,e isso é bom, ficastes mais resistente...

Beijos em versos!!! Com carinho

Layara disse...

Poeta,frases concretas,amalgamadas de dor, que reverberam nas paredes e ecoam nos dias de solidão.
Assim as vezes é.
Desejo que possa transpor essa masmorra, subir e seguir.

Um Beijo na Alma!

Paulo Braccini disse...

aos poetas nada é capaz de abatê-los ... nem mesmo as palavras ...

tem um presente para vc caso queira pegar ... passa por lá ...

bjux

;-)

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,