sexta-feira, 8 de maio de 2009

FASCINAÇÃO


Toda!
A começar pelo brilho
no teu olhar.
Pelo brilhante
na tua orelha
pelo brilho no dente.

Que me moa
junto ao milho.
que me fermente,
até que eu seja aguardente
virando fel,
esquecendo o mel.

Mel dos teus braços.
Ficar ao teu sol,
ao teu sul,
ou à sombra de todo mal,
aspirar as plantas mirras
do teu quintal.

Insisto
em ficar
onde estejam
os teus cheiros,
os teus beijos,
teus ares benfazejos.

Tudo
Que possa ser feito,
não me arrancará do leito.
Deitar com este corpo,
é domar o morrer.
É a furia de te querer desse jeito.