quinta-feira, 23 de abril de 2009

PALAVRA DE HONRA


Uma palavra apenas, foi suficiente para desencadear sentimentos há muito sepultados. Deixei-os escapar, faltou-me coragem para aprisioná-los. Perdi, sem perceber uma chance na vida de fazê-la menos sofrida. Certos sentimentos devem ser postos ao vento para a semeadura, e serem espalhados pelo peito para que germinem.
Também os sonhos devem ser postos ao sol, para que transcendendo o sonhar, possam junto à outros sonhos trazerem a fé no despertar das manhãs, e que sejam sonhos de paz e amor, (agora falei como um "bicho grilo"). Agumas palavras nos assustam, é facíl sentir medo; São raízes que vem do passado e tentam nos acorrentar à desejos e sentimentos mal-resolvidos. muitas vêzes, sou eu que procuro estas palavras em vôos noturnos, que faço pelo incomensurável. Invariávelmente, volto desfigurado e com algumas penas arrancadas, mas sentindo-me renovado; Tiro o prazer dos vermes no banquete final.
Mas, que palavras são essas que entre receios e devaneios, arruma e desarruma, reverte e converte, palavras que são pinturas abstratas, ecos de almas, hiatos entre lacunas, ferramenta que lavra o destino,(PÁ+LAVRA=PALAVRA). Algumas quase me mataram, outras quase me suicidou. Minhas palavras não são só minhas, partilhadas estão com tantas outras, que até se erguem em meio a solidão. Não são só minhas, pois com outras constroem unidas, o que não fazem sozinhas:
Obsoletas no leito / Define conceito / Difusas no dia / Arranja melodia / Confusas na alma / Silencia e acalma. Me deixa voar, e viver para te encontrar.


"...Os mundos foram criados pela palavra de Deus, de maneira que o visível não foi feito do que se vê." (Heb.11:03)


T@CITO/XANADU