quarta-feira, 11 de março de 2009

W I N D


Vento desfeito em brisa,
um sopro de carinho.
A vida em um momento
vai, varre meu caminho.

Escolhe no tempo,
se brisa ou se vento.
Depressa seca o olhar.
No ir e no voltar...

Corpo molhado
o mais desejado,
repisa o mesmo caminho,
te deixa arrepiado.

Na tarde a brisa
na mulher a vida,
no homem a sede.
Uma saudade,uma partida.

Te quero como a vida,
te quero sofrida.
Como o vento,
sem sentimento.

Mas se brisa, fragiliza,
desespera e cai.
Te abro a janela,
se instala e não sai.



( O que secará agora as minhas lágrimas ? ... )



T@CITO/XANADU